E agora... um bocadinho de História

4/11/2010 09:11:00 da tarde Publicado por Maria Luís

...

ANADIA, com uma área de 217,0 km2, 31 622 habitantes e 15 freguesias, é um dos 19 municípios distrito de AVEIRO.

A história do topónimo de Anadia está ligado ao nome de Ana Dias. Esta era uma grande proprietária de vinhas do povoado. O seu vinho era de boa qualidade e vendido junto da estrada que seguia para Coimbra. Com o tempo, o seu nome ficou sendo conhecido e ligado ao povoado.

Por outro lado, a Anadia também pode ter derivado do termo ANADARIA, que corresponde à jurisdição de um capitão de Besteiros. ANADEL seria o nome do capitão. Anadaria teria origem no árabe - "an - nadir".

Existem documentos antigos que apontam a forma "illà Nadia" como limite de povoações". É possível que fosse esta a designação usada pelos romanos.

Em 1082, foi estabelecido os limites de Monsarros entre o mosteiro da Vacariça e o alvazir Sisnando, conde de Coimbra. O termo utilizado nesta altura foram justamente "illá Nadia" e "Quintanela" (Quintela).

Anadia foi doada por D. Afonso Henriques ao Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, doação esta que incluía três casais. Guterres Nunes, cavaleiro fidalgo, recebeu, em doação de D. Sancho I alguns casais de Anadia.

Foi no século XVI no reinado de D. Manuel I que se deu o foral, a 21 de Agosto de 1514. Nesta época, o concelho era constituído apenas pela povoação de Anadia e uma parte da paróquia de Arcos e arredores. Nesse mesmo ano alguns pequenos concelhos vizinhos foram integrados no concelho de Anadia.

Na época dos conhecidos diplomatas Sá e Melo, ascendentes dos condes de Anadia, a povoação foi elevada a vila. Em 1839 Anadia foi elevada a sede de concelho. A Anadia é hoje a capital da Bairrada e sede de Comarca.

Os condes de Anadia...
Os condes de Anadia são fidalgos de linhagem, com um sumptuoso palácio. A antiga quinta onde moravam faz parte hoje da Estação Vitivinicola da Beira Litoral. Infelizmente, o palácio foi posteriormente demolido e no local veio a ser construída a Escola Agrícola Alexandre de Seabra.

O primeiro conde de Anadia foi João Rodrigues de Sá e Melo, que faleceu em 1809. O segundo foi José António de Sá Pereira Menezes. O terceiro Manuel Pais Sá do Amaral de Almeida. O quarto título pertenceu a José Maria de Sá Pereira Menezes Pais do Amaral de Almeida Vasconcelos Quifel Barbarino. O quinto foi Manuel Pais de Sá do Amaral Menezes Quifel e Barbarino e por último, nascido a 28 de Setembro de 1893 é nomeado 6º conde de Anadia José de Sá Pais do Amaral, cujos descendentes vivem em Mangualde.

... e outros notáveis
Diversas foram as pessoas de Anadia que entram na história pelas suas qualidades reveladas:
Fausto Sampaio, anadiense, nascido em Alféloas em 4 de Abril de 1893. Pintor surdo-mudo, que com muita perseverança conseguiu singrar no meio artístico.

José Luciano de Castro, nascido em Oliveirinha, em 1834, formou-se em Direito na Universidade de Coimbra. Jornalista, deputado e ministro, seu nome está ligado a importantes reformas.

Mário Duarte, que trabalhou para que o futebol se desenvolvesse em Portugal. Falecido em Aveiro tem o seu nome gravado no Estádio Municipal da cidade.

Manuel Rodrigues Lapa, professor catedrático, filósofo e jornalista.

Fernando Afonso Geraldés de Melo Sampaio Pereira, único visconde, l° Conde e l° Marques da Graciosa. Por sucessão, senhor de Meddim, alcaide-mor de Monsanto.

De resto, as principais atracções da vila são o palacete do Conde da Anadia e o Paço dos Marqueses da Graciosa, magnífico edifício do século XVIII.

Uma actividade curiosa da zona é exclusivamente desempenhada por mulheres, as «empalhadeiras de garrafões», que trabalham com vime e palha.

A Bairrada é uma região de longos vales e montes abrigados onde a expressão «boas águas, melhores vinhos» se encontra plenamente justificada.

in http://www.solaresdeportugal.pt

0 comentário(s):