1º de Maio

5/01/2010 07:13:00 da tarde Publicado por Maria Luís


























Quando no meu 4ª Ano de Lic., a professora de História Contemporânea de Portugal, nos disse que a bibliografia do semestre seria José Mattoso, eu dei graças por ter uma biblioteca em casa recheadinha de nomes sonantes da História, onde constavam todos os volumes deste senhor!
Hoje deu jeito para recordar o 1º de Maio:

José Mattoso na sua História de Portugal, vol. 5, diz que houve um reforço da luta do movimento operário português em finais do séc. XIX sendo "em torno da associação e da greve que gravita o próprio movimento operário".

Entre 1852 e 1910 realizaram-se 559 greves no nosso país. A subida dos salários, a diminuição do horário de trabalho e a melhoria das condições de laboração eram as principais exigências dos operários.

Ainda segundo o mesmo autor, o movimento operário alcançava grande força quando os sindicatos se juntavam com as associações recreativas, as de socorros mútuos e os centros políticos.

Tal ficou demonstrado no 1º de Maio de 1900 que juntou em Lisboa cerca de 40 mil pessoas, numa altura em que "as classes médias ainda viam as organizações de trabalhadores com alguma simpatia".

Durante a I República não se deixou de festejar o Dia do Trabalhador.

Durante o Estado Novo as manifestações no Dia do Trabalho (e não do Trabalhador) eram organizadas e controladas pelo Estado.

Em Portugal só a partir de Maio de 1974 é que se voltou a comemorar livremente o 1º de Maio e este dia passou a ser feriado.

O primeiro 1º de Maio celebrado em Portugal depois do 25 de Abril (1 de Maio de 1974) foi a maior manifestação alguma vez organizada no país.


Em em Anadia, alguém tem memórias, fotografias que queira partilhar connosco?!


Sem querer ser demasiado "maçuda" para este blog, se tiverem tempo passem por aqui Um texto divertido de Eugène Delacroix acerca doa Satisfação do Trabalho!!

0 comentário(s):