Festival Jota

7/24/2009 06:07:00 da tarde Publicado por Sérgio Bandeira

Antes de mais, permitam-me que me apresente.
Para os mais distraídos, chamo-me Sérgio Bandeira! :)

Independentemente de qualquer ligação profissional, religiosa ou politico-partidária que eu possa ter, este projecto (como todos os outros que tenho) terá sempre a minha independência, imparcialidade e criatividade, obviamente limitadas pelas minhas opiniões e capacidades.


Apareço hoje para vos informar do grande evento que já começou em São Jacinto: o Festival Jota!

O país está cheio de festivais de Verão, mas não há nenhum como este.
Primeiro, porque é aqui pertinho, em São Jacinto.
Em segundo, porque tem artistas de música de inspiração cristã.
E, em terceiro, porque para além de ser um festival de música, tem fóruns, workshops, animação e até oração e uma Eucaristia.

O Festival Jota nasceu em 2007 pelas mãos do Departamento da Pastoral Juvenil da Guarda e da Banda Jota e aconteceu nos dois primeiros anos no Paúl, Serra da Estrela.
Em 2009 o Festival Jota começa, em Aveiro pela mão do Secretariado Diocesano de Pastoral Juvenil e Vocacional de Aveiro, um percurso de itinerância pelo país.
Para mais informações, consulta o sítio Web oficial http://www.festivaljota.com/.

15 comentário(s):

  1. Anónimo disse...

    Se as figuras que José Ribeiro anda fazer por Lisboa para se manter como Deputado fossem conhecidas era desprezado. Só demonstra que é dependente da política.

  2. Anónimo disse...

    E que figuras são essas? :)

  3. Anónimo disse...

    Yap, tb curtia saber...

  4. Sérgio Bandeira disse...

    Esses comentários eram para este post?

    Se calhar engaram-se na janela...

  5. Cagido disse...

    Tanto anónimo conhecido a fazer comentários.

  6. J.Coelho disse...

    Viva, Sérgio
    Desconfio que este pessoal não está muito virado para a discussão de eventos religioso-pagãos (se é que o termo existe).Se fossem só pagãos seria muito mais fácil.
    De qualquer modo felicíto-o por ter a coragem ( se calhar o termo é um pouco dramático) de dmonstrar a sua ligação a realizações ligadas á Igreja, que colhem poucas simpatias na juventude, penso eu.
    As opções político-partidárias,são, infelizmente, usadas,em muitos casos, como estigma, mas nunca para quem as assume com crítica convicção, como me parece ser o seu caso.

  7. Anónimo disse...

    As primeiras mensagens realmente foram mais para preencher do que para incutir alguma opinião sobre o assunto em questão.

    Quanto ao tema quero apenas dizer que desconhecia o Festival Jota, mas sem dúvida que é de louvar, ainda mais tendo uma animação variada de carácter cultural e lúdico. É sem dúvida o Anadia Sem Gente e a sua Gente a dar a conhecer eventos e noticias que interessam a todos.

    Quanto a outra nuance colocada pelo J.Coelho, de que “ demonstrar a sua ligação a realizações ligadas à Igreja, que colhem poucas simpatias na juventude, penso eu.”

    Acho que isto é na maioria dos casos normal, não em todos sublinho, mas temos que reflectir se o Padres de cada paróquia estão realmente a dar conta do seu trabalho.

    Parece que alguns ainda vivem , fruto da sua educação e do seu percurso/ensino algum saudosismo, em relação ao período feudal, onde Clero e Monarquia mandavam, burgueses tinham influência e o Povo obedecia.

    Parece-me a mim que o trabalho que alguns Padres fazem e o que poderiam/deveriam fazer está muito aquém da realidade/ anseios da Sociedade contemporânea.

    Fruto disso mesmo, é ver algumas freguesias em que apenas asseguram um mínimo ridículo, e descartam todo e qualquer trabalho que possa fomentar a integração, convivência, auto-recreação, iniciativas que visem não só a união do Povo mas também que ajudem e facilitem à sustentabilidade da própria igreja assim como o interesse dos crentes na doutrina que apregoam.

    Quantos são os padres do nosso concelho, que maus exemplo de civismo dão? compreensão humana, que ajudam verdadeiramente e que preocupação pelos outros expressam? que iniciativas tomam?

    É por ausência de atitudes como estas, que os jovens não se interessam pela igreja, porque alguns só vêm nela histórias antigas e necessitam de algo momentâneo, nem que seja uma pequena actividade que beneficie alguém, que precisa mais, para que possam reconhecer algum crédito, porque os fiéis “cegos” tem tendência acabar.

    Cumprimentos

  8. Sérgio Bandeira disse...

    Não sei se colhem poucas simpatias na juventude... sinceramente, até acho que não, mas...

    Olhe que, de Anadia, foi muita malta nova para este festival.

  9. ML disse...

    Serás o Sérgio Bandeira que andou a estudar comigo no liceu nos anos 90?!

  10. Sérgio Bandeira disse...

    Ao Anónimo das 18:54 só queria comparar a situação que narra com o facto de também não haver muitos jovens com interesse na política.

    Quanto às "atitudes" que refere, eu acho que faço a minha parte. E o senhor?

  11. Sérgio Bandeira disse...

    ML, é provável, sim!
    Eu é que fico na mesma quanto à tua identidade, mas não há crise...

    Serás tu a ex-namorada do ex-namorado na minha ex-namorada?
    ;)

  12. Anónimo disse...

    Quanto aos jovens e a política, penso que a política acaba por ser um tema mais complexo e maçudo, que exige mais disponibilidade, atenção e dedicação, a tudo o que se ouve e se vê, para poder ter uma capacidade de análise e de argumentação em variados temas, além disso todos os jovens possuem naturalmente o vazio histórico politico, o que faz com que pareça, nomeadamente no inicio, que não percebam nada de politica nem como gira o Mundo da Politica, este simples facto requer que para cidadãos relativamente novos, só se aproxima da politica quem pertence a um determinado estereótipo de pessoas com determinada forma de ser, com características mais preparadas para desenvolver as suas capacidades ou então aqueles que são influenciados mesmo que não tenham gosto pessoal / "Queda" para a Política, talvez pelo meio em que vivem ou por razões familiares se vêm envolvidos por ela.

    Toda a juventude tem capacidade, nem todos estão dispostos a abdicar de ser um jovem, embora também é verdade que não é necessário deixar de ser jovem, por ex: assim como as crianças gostam de brincar, os jovens gostam de ser jovens, sem tantas preocupações e sem determinado tipo de performances predefinidas ou não, depois existe um período temporal, que é difícil de identificar em cada jovem, depende de cada um, em que se pode engrenar na Politica ou não.

    Mas se formos a ver, também não são dadas muitas oportunidades aos jovens em termos políticos, as Jotas ainda há bem pouco tempo nem expressão tinham aqui no nosso Concelho, e os meios de comunicação "net" não permitiam a globalidade e a partilha de ideias dos dias de Hoje.

    Quanto às "atitudes" é sempre bom saber que cumpre a sua parte, independentemente das minhas crenças ou religião, no que diz respeito à minha parte vou cumprindo naquilo que posso.

    Quero que compreenda que não lhe estava a atirar nada à cara, apenas estava a constar um facto, e não acredito que tenha dito aqui, alguma coisa que não saiba, apenas disse!! se ninguém disser nada é sinal de que tudo vai bem, quando sabemos que isso não é a realidade.

    Cumprimentos

  13. ML disse...

    Caro Sérgio Bandeira: É isso mesmo, acertaste em cheio!!
    Fico contente por seres tu!

  14. ML disse...

    Sérgio, sou eu mesma!

  15. Sérgio Bandeira disse...

    É que eu tenho um dedinho que adivinha... hehe