Mais de uma centena de plantas de cannabis apreendidas

8/13/2009 06:28:00 da tarde Publicado por Jolly Jumper

O Núcleo de Investigação Criminal (NIC) da GNR de Águeda apreendeu, ontem, 116 plantas de cannabis com um peso total que ultrapassa os 50 quilos

Esta apreensão ocorreu na sequência de meio ano de investigações que culminou numa operação, ontem de manhã, em Aguim (Anadia) à casa de um homem de 42 anos.
A operação decorreu na sequência do cumprimento de mandados de busca domiciliária emitidos pelo Tribunal de Águeda, após uma semana de vigilâncias apertadas ao suspeito. A investigação foi desencadeada após o aumento de tráfico de “liamba” e “maconha” no sul do concelho de Anadia.
O suspeito tinha as plantas de droga no quintal de casa. Fonte da GNR explicou ao Diário de Aveiro que as plantas já tinham atingido um elevado grau de maturidade, estimando-se que delas se pudessem extrair 2,5 quilos de droga, que daria para mais de mil doses de droga com um preço de mercado entre cinco a dez mil euros. Algumas delas tinham mais de 2,5 metros de altura.
O suspeito foi constituído arguido e libertado depois de prestar Termo de Identidade e Residência. O processo baixou a inquérito.
...
Publicado em Diário de Aveiro

8 comentário(s):

  1. Anónimo disse...

    O Litério se fossem a casa dele só encontravam Moet chandon. Litros e litros. Mas isso não é proibido.

  2. Anónimo disse...

    Se fossem a casa do Ildefonso, sogro do José Ribeiro, era só caviar e mais caviar...

  3. GreenWood disse...

    Se o (BE) ganhar isso passa tudo a ser liberalizado em Portugal.

  4. Zé de Lírios disse...

    Caviar??? Muito melhor: Uma cabidelazinha qe até ja´marchava.
    Mas realmente, realmente. Quando toda a gente diz que as verduras fazem bem, vão logo destruir essa plantação?! Isso não se faz!

  5. Sérgio Bandeira disse...

    Já agora, como é que a destruiram?
    Queimaram-na???

  6. Zé de Lírios disse...

    Essa coisa não é mesmo para queimar?

  7. Anónimo disse...

    Deve ter sido um momento animado, só mesmo a cannabis para os fazer sorrir, porque coitados também tem muito que contestar.

    Depois do anúncio da licença de mérito por ter caçado mais multas, que foram atribuídas a dois ou três gatos pingados do regimento, que se fazem de lindos, aos olhos do ministro, e depois usufruem do esforço dos outros.



    Os Parvalhões não se aperceberam que a licença de mérito que lhes foi concedida, não foi para premiar o seu mérito, mas sim para condenar, enfraquecer e minar a união e o mérito dos outros Polícias todos.

  8. Sérgio Bandeira disse...

    Pior ainda é quem tenta reforçar o (suposto) intuito.

    Então pensa...