Ribeiro Cristóvão veio à Curia falar de Desporto

6/07/2010 01:50:00 da tarde Publicado por Ana Jesus Ribeiro

...
No passado dia 4 de Junho, o PSD/Anadia realizou mais uma conferência dirigida primordialmente aos seus militantes e simpatizantes, mas aberta à sociedade civil. Desta vez o tema escolhido foi “Desporto em Portugal – Que Futuro?”. Para falar sobre este tema foi convidado a ilustre figura da nossa rádio, Ribeiro Cristóvão.
José Manuel Ribeiro, Presidente do PSD/Anadia iniciou a conferência fazendo uma alusão à passagem de Ribeiro Cristóvão pela Assembleia da República, em duas legislaturas, nas listas do PSD, recordando além da sua dedicação, o seu “inconfundível e contagiante humor”, sendo uma pessoa que “tinha sempre um conselho oportuno para dar” dentro de“alguma irreverência”.
O Presidente do PSD/Anadia, definiu Ribeiro Cristóvão como “um jornalista que serviu e serve de exemplo para muitos profissionais”. Um “exemplo de competência e profissionalismo”. Tendo começado a sua carreira em Angola, em 1976 ingressou na Rádio Renascença, permanecendo até aos dias de hoje. Foi criador de inúmeros programas, sendo os mais conhecidos a “Bola Branca” e a “Frente Desportiva”, que ainda hoje podemos ouvir na rádio.
Ribeiro Cristóvão, na sua intervenção começou por dizer que detém “uma relação muito especial com José Manuel Ribeiro”, agradecendo o convite do PSD/Anadia para poder ter uma “conversa” com as pessoas da mesma terra que Toni (antigo treinador do Benfica) e Alves Barbosa (antigo ciclista).
O convidado afirmou, de forma peremptória, que o governo “não dá grande atenção ao desporto em Portugal”. “São feitas muitas obras, mas que depois não são devidamente aproveitadas” – dando como exemplo o Velódromo Nacional instalado em Sangalhos. “São criadas leis e estruturas que não justificam o investimento efectuado".
Ribeiro Cristóvão identificou Portugal, como sendo “o país do futebol”, onde diariamente são lançadas cerca de 300 páginas de jornal sobre essa matéria. Portugal assume-se como um “país de futebol e não de desporto."
Em toda a conferência, Ribeiro Cristóvão esteve muito informal, aproveitando para relatar um conjunto de histórias magníficas do mundo do desporto e da rádio. Referiu-se inúmeras vezes a Joaquim Agostinho, como uma pessoa que era “genuína, pura e um grande companheiro, um verdadeiro campeão”. Para Ribeiro Cristóvão, Joaquim Agostinho “era um exemplo de homem e de resistência”.
Quando a conversa enveredou para o tema do futebol, as histórias multiplicaram-se e as dezenas de pessoas presentes na sala não arredaram pé, tendo-se ouvido diversas gargalhadas, dado o excelente humor do orador.
Referiu-se a Eusébio como uma pessoa carismática muito na linha de Joaquim Agostinho. Um jogador “incomparável”, tal como “Maradona, Di Stefano e Pelé”, para ele, os melhores de sempre.
Quando a conferência se direccionou para a participação da nossa selecção no Mundial da África do Sul, Ribeiro Cristóvão, referiu-se a Carlos Queiroz como sendo um “homem fantástico do futebol, um excelente organizador”, mas que lhe faltam inúmeros predicados para ser um grande seleccionador. Para Ribeiro Cristóvão não existe comparação entre Carlos Queiroz e Luís Filipe Scolari, e isso “nota-se no estado apreensivo que os portugueses têm, quando o tema é a nossa selecção”.
Segundo Ribeiro Cristóvão, o futebol de hoje significa “muitos ferraris, muitas mulheres e muito dinheiro”, sendo que o futebol português é “muito pobre”, a provar está a média de espectadores que rondou os 8.000 esta época.
A sessão contou com um participado debate, onde a plateia, colocou diversas questões a Ribeiro Cristóvão, que não deixou ninguém sem resposta.
No período de perguntas e respostas, as solicitações foram muitas, e houve espaço para Ribeiro Cristóvão identificar o problema do desporto na sociedade civil. O problema começa nos campeonatos distritais, que pagam aos jogadores para jogarem, e agora “é complicado voltar atrás”.
A conferência terminou com uma confissão de Ribeiro Cristóvão, ao dizer que procurou “estar sempre junto das pessoas” referindo ainda que cometeu alguns erros ao longo da sua vida, mas que apesar disso conseguiu “construir uma boa imagem que orgulha” a sua família, palavras que arrancaram uma calorosa salva de palmas.

[Press Gabinete de Relações Públicas e Comunicação Social da CPS PSD Anadia]
[Foto de Ana Jesus Ribeiro]

1 comentário(s):

  1. Anónimo disse...
    Este comentário foi removido por um administrador do blogue.